lixo plástico

Brasil é um dos maiores produtores de lixo plástico do mundo

O Brasil é o quarto maior produtor de plástico do mundo, atrás apenas de EUA, China e Índia. O País produz cerca de 11,3 milhões de toneladas de lixo plástico todo ano, mas apenas 1,28% é reciclado. Esse índice está bem abaixo da média global de reciclagem, que é de cerca de 9%, conforme demonstra o relatório Solucionar a Poluição Plástica – Transparência e Responsabilização, da WWF, com base em dados do Banco Mundial.

Entenda a importância de fazer o descarte corretamente

O plástico está em toda parte de nossa rotina diária. Porém, embora seja útil, esse material também se mostra bastante agressivo ao meio ambiente, pois leva cerca de 400 anos para ser decomposto na natureza. Esse problema aumenta porque quase metade de todo o plástico é utilizado para criar produtos descartáveis, com vida útil menor que três anos.

De acordo com relatório da WWF, todo ano mais de 2,4 milhões de toneladas de plástico são descartadas no Brasil de modo irregular, em lixões a céu aberto, sem qualquer tipo de tratamento. Outros 7,7 milhões de toneladas vão para aterros sanitários. E mais de 1 milhão de toneladas sequer são recolhidas pelos sistemas de coleta.

Veja como o lixo plástico polui também a água

O descarte ao ar livre também polui aquíferos, corpos d’água e reservatórios, provocando aumento de problemas respiratórios, doenças cardíacas e danos ao sistema nervoso de pessoas expostas.
Se nada for feito para mudar essa situação, até 2030, a poluição por plásticos nos mares deve chegar a 300 milhões de toneladas no mundo – o que corresponde a 26.000 garrafas de 500ml de água a cada km² de oceano.

lixo plástico

Colabore com a reciclagem e reutilização de embalagens

Qualquer bebida ou refeição que fazemos na rua geralmente envolve alguma embalagem de plástico. Para evitar isso, utilize talheres, copos e pratos de vidro ou mesmo daqueles plásticos mais durinhos, que podem ser lavados e reutilizados.

Outro problema são os canudinhos de plástico, que podem ficar perdidos por 100 anos na natureza até se decompor. Cerca de 500 milhões de canudos são consumidos diariamente em todo o mundo. Pelo perigo que oferecem ao meio ambiente e aos animais marinhos, eles estão sendo banidos pouco a pouco, e o seu consumo deve ser evitado.

O material, porém, não é inerentemente nocivo, pois pode ser reciclado ou reutilizado. Garrafas plásticas, caixas de suco e leite, embalagens de óleo de cozinha, detergente para louça e outros produtos de limpeza costumam ser feitas de plástico reciclável. Além disso, essas embaladas podem ser lavadas e reutilizadas, em vez de simplesmente jogadas no lixo.

Conheça as vantagens das estações de água

Ao utilizar as estações de processamento de água, o usuário pode reutilizar os recipientes, reduzindo assim o descarte de lixo plástico e ajudando a preservar o meio ambiente. Outra das vantagens da máquina é a economia – a sua água tem custo até 60% menor em comparação com águas de entrega.

A Purificatta é uma empresa pioneira no Brasil no setor das chamadas estações de processamento de água coletivas – muito comuns nos EUA e na Europa. Para garantir a qualidade do produto, a máquina possui seis etapas de processamento.

Essas estações de água são adotadas com grande sucesso em condomínios residenciais. Os moradores pagam uma taxa mensal e têm direito a consumir a quantidade de água que quiserem. A instalação e manutenção ficam por conta da própria empresa.

Além de pensar na saúde das pessoas, a Purificatta também tem uma enorme preocupação com o meio ambiente. A máquina estimula os moradores dos condomínios a usarem os seus próprios recipientes para buscar a água, sem ter que comprar garrafas de plástico ou galões com frequência. Esse consumo é mais sustentável e reduz a quantidade de plástico que é descartado. Graças ao sistema, mais de 80 mil embalagens pet são reutilizadas todos os meses.

Você gostou desse artigo? Quer saber mais sobre como reduzir o uso de plástico no dia a dia? Então veja neste artigo!

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Assine nossa Newsletter!

Leia Também