Cuidados contra a Covid-19 devem ser mantidos mesmo após vacinação

Confira as principais recomendações para prevenção

A vacinação contra a Covid-19 trouxe alívio e esperança para a população. No entanto, meses após o início da campanha, os cuidados básicos contra a Covid-19 ainda devem ser mantidos. Os principais motivos para isso é o baixo número de imunizados  no país e também há dúvidas sobre a transmissão de Covid-19 por pessoas vacinadas.

A recomendação, portanto, é que sejam mantidas as medidas como higienização das mãos, distanciamento físico e uso de máscara, até que as pesquisas sejam conclusivas, conforme a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa orientação também é válida para pessoas já que foram vacinadas.

Cuidados individuais

Desta forma, os cuidados individuais continuam pertinentes. Pessoas com Covid-19 podem não apresentar sintomas ou ter sintomas leves. Por isso, é importante estar sempre alerta e manter os cuidados de não aglomeração e higiene. A distância entre as pessoas deve ser de pelo menos um metro. Lavar as mãos de forma correta e sempre que possível com água e sabão também é essencial, assim como utilizar álcool em gel quando não foi possível lavar as mãos.

Uma medida que muitas vezes é esquecida é manter os ambientes ventilados, no entanto ela é destacada por especialistas como essencial para prevenção. A transmissão do coronavírus “se dá por secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse e catarro”, segundo a Fiocruz. As gotículas muito pequenas, os aerossóis, podem permanecer suspensas no ar por longos períodos. A transmissão por aerossóis, especialmente em locais fechados, lotados e inadequadamente ventilados, ainda é investigada, mas a OPAS afirma que não pode ser descartada.

Enquanto isso, a contaminação por superfícies é considera mais difícil. Ainda assim, é importante manter as superfícies limpas, já que ainda é investigado quanto tempo o coronavírus sobrevive nelas. A Fiocruz recomenda a limpeza com água e sabão, álcool a 70% ou água sanitária a 0,1%, com a máxima frequência possível e no mínimo uma vez ao dia.

 

Máscara

O uso de máscaras se mostrou fundamental para diminuir a contaminação por Covid-19. A OPAS recomenda o uso de máscaras de tecido não cirúrgicas para o público em geral com idade inferior a 60 anos e que não tenha comorbidades. Já as máscaras cirúrgicas são indicadas para trabalhadores de saúde, pessoas com sintomas de Covid-19, a população dos grupos de risco e também pessoas que cuidam de casos suspeitos ou confirmados de COVID-19 fora das unidades de saúde.

Atualmente, as máscaras padrão PFF2 e N95 também são recomendadas e estão sendo mais utilizadas pela população em geral. Elas oferecem um grau maior de proteção, devido à vedação e filtragem, e devem ser priorizadas em situações de maior risco, conforme reportagem da BBC Brasil.

As máscaras, no entanto, podem gerar uma falsa sensação de proteção. Mesmo com o uso delas, outros cuidados devem ser mantidos, inclusive em relação à máscara. Entre as recomendações de órgãos como a OPAS e Fiocruz, está o não compartilhamento de máscaras, não tocar no rosto após o uso e limpar corretamente. Ainda é necessário manter o isolamento social e as demais medidas de higiene.

Condomínios

Todas essas recomendações também se aplicam aos condomínios. As regras variam conforme cidade e estado, mas em geral, aglomerações devem ser evitadas e áreas de transição, como elevadores, devem ser limpas e sanitizadas com frequência. Além disso, totens de álcool em gel são recomendados. A utilização das áreas também pode ser organizada com restrições de pessoas, como por grupo familiar, por exemplo. Por fim, os moradores podem optar por realizar atividades ao ar livre e devem tomar os cuidados individuais.

Saiba mais

As orientações de cuidados com a Covid-19 são disponilizadas por entidades como o Ministério da Saúde, Fiocruz e Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

 

 

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Assine nossa Newsletter!

Leia Também